A Piteira e a tosse...

 

 

Quando há dias estive, com a Aposenior, de visita ao Castelo de Alcácer do Sal, não resisti a fotografar esta linda Piteira, que descaía pela encosta da  muralha.

Além de nunca ter visto uma Piteira tão grande, também não a conhecia em flor...Amei...

Mais ainda...senti uma enorme gratidão ao apreciar tamanha beleza e ao reconhecer os seus benefícios na cura da Tosse Convulsa ou Coqueluche! Eu que o diga!!

Foi assim...Quando eu tinha seis anos, aí por 1955/56,  grassou em Portugal uma epidemia dessa famosa tosse - no mau sentido - é claro...

Além de ser muito contagiosa era de muito difícil tratamento...

Sofri muito, porque os ataques de tosse eram muito frequentes, dolorosos e chorosos...para criança como eu...magricela e com poucas defesas...

Bem, lembro-me que toda a gente sugeria remédios, ou da farmácia ou caseiros, lembro-me de ir com o Tio Benjamim e os primos, para os pinhais, respirar ar puro e apanhar flores de pinheiro...

mas...nada...

Eis senão quando alguém sugeriu: Xarope de Piteira!

Abençoado Xarope! Nunca mais me esqueci do alívio que foi, porque a tosse acabou logo!

Haverá receitas mais completas, mas basicamente foi assim:

Um folha de piteira...como tem muitos picos é preciso ter cuidado para não se magoar...talvez tentar limpá-los primeiro.

Depois, abrir ao meio, no sentido do comprimento.

Rechear com açúcar, colocar as meias folhas uma contra a outra e atar com um fio, para voltar a ficar unida.

Então pendurar a folha e deixar escorrer o suco que se vai formando, para dentro de uma taça. Está feito o Xarope.

Lembro-me vagamente que se assemelhava a clara de ovo...

E FOI REMÉDIO SANTO !!!

publicado por Belisa Vaio às 22:10 link do post | comentar | favorito