1 comentário:

É impressionante como "Eles" estão tão vivos dentro da gente, não é amiga? O meu, um dia num almoço aqui em casa, senti que o teríamos por pouco tempo ( nesta ocasião ele ainda não nos tinha declarado totalmente sua doença), mas, no momento em que peguei em suas mãos, as vi tão amarelinhas e frias, soube, que teria que aproveitar o tempo que ainda tínhamos. Esqueci de tudo, e comecei a ficar mais tempo em Ipeúna, para poder desfrutar desses momentos. E, agora que ele se foi, não passa muitas horas, sem que os pensamentos voltem para tudo que vivemos . Um beijo Grande, tenho certeza que um dia nos reencontraremos. Voce CRÊ nisso?
intercambiando2 a 5 de Maio de 2010 às 02:32