Rosas para um ATÉ SEMPRE...

http://static.daflores.com/images/product_big_0053.jpg

 

 

Ontem, partiste sem avisar..

Incrédula e nervosa, andei a colher rosas, as mais bonitas que encontrei...

E enquanto o fazia, lembrava-me de ti, do teu rosto SEMPRE sorridente, do teu entusiasmo, dos projectos que partilhámos, das noites de alegria

que vivemos a preparar as festas da ACAP, do sonho de construir um Lar onde os idosos da nossa Aldeia se sentissem felizes , acompanhados e junto da família...

E continuei a recordar-te, quando há tempo estivemos uma manhã a conversar no Rossio...

Sobre a Vida, os filhos, os teus filhos de que tanto te orgulhavas, a sua vida de cientistas, discretos, mas tão importantes na Medicina e na Biologia...do Manel, do teu coração que de vez em quando se mostrava cansado desta vida...

E falámos também da outra Vida, daquela que nos é misteriosa, e que por isso mesmo, tanto  nos fascina...

Com muito carinho, fiz um bouquet, colorido como a tua ALEGRIA, enlacei-o com uma fita branca, como a tua pureza de Alma e fui procurar-te...

O teu corpo ainda ali estava...frio, sem graça, mas sereno...

Falei-te em silêncio, disse-te da minha amizade e de todas as recordações que te vão manter viva, entre nós...

E juntei-me à Céu e à Carlota...

A tristeza e a surpresa unia-nos profundamente...

Estávamos só as quatro amigas...nós e tu...

E eu, para as consolar naquela dor, falava daquilo em que acredito...que estavas ali, concerteza, mas de outro modo, a pairar sobre nós,a ouvir-nos, a sorrir porque conhecias a nossa Amizade e a querer dizer-nos que agora o teu coração já não batia cansado... mas tinha mesmo parado...

Pensativas, meditávamos sobre esta esperança de que a Vida não acába quando o corpo morre...

Nisto, olho para ti e ...uma golfada de sangue soltou-se da tua narina...

Senti-me abençoada...estavas a dar-nos um sinal de que estavas ainda connosco e a ouvir-nos...

As nossas outras amigas assustaram-se um pouco...

Eu, já sabes como sou quando é preciso tomar uma atitude e arregaçar as mangas...

Peguei em lenços de papel e carinhosamente, falando sempre contigo, limpei-te o rosto...

Fiquei feliz e em paz, amiga São...deste-me o privilégio de "falar" comigo...

Sinto que  também estás em Paz...e não nos esqueceremos..

ATÉ SEMPRE ...

sinto-me: EM PAZ
publicado por Belisa Vaio às 18:44 link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito